sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Criando mapas para RPG no Photoshop/GIMP (Continente)

Bom dia (ou boa tarde) a todos!

Hoje venho lhes trazer um super tutorial voltado para você, mestre! Para você que leu nosso post sobre mapas (aqui) e não entende nada sobre o uso do Photoshop ou GIMP, trago-lhes hoje um super material sobre como criar mapas nesses dois programas, e o melhor: Um mapa bonito, mesmo para quem é "marinheiro de primeira viagem"!
Tentarei ir além e mostrar algumas técnicas e ferramentas que o GIMP oferece para melhorar ainda mais seus mapas, assim, você conseguirá obter mapas cada vez melhores conforme a sua progressão no programa, que é muito simples de usar.
Tive a preocupação de deixar em um linguajar que qualquer leigo desses programas citados entenda. Se você entende e ficar pensando "porra, será que alguém não sabe como seleciona uma área?", pense que nem todos são providos com os conhecimentos que você obteve, então não se irrite.

Vamos nessa?



Alguns pontos importantes antes de iniciarmos:
• Utilizarei o GIMP por conta da sua acessibilidade e pelo fato de meu hardware não ser tão potente a ponto de suportar o Photoshop sem quedas de rendimento. Mas, o Photoshop tem as mesmas ferramentas, e algumas até melhores que o GIMP, então não se preocupe que a curva de aprendizagem é a mesma;
• GIMP e Photoshop trabalham com Camadas e os mapas giram intrinsecamente em torno delas. Leia nosso post anterior sobre mapas para entender como as camadas funcionam;
 • Trabalharei com dois tipos de mapas diferentes - Regional e Cidade - para vocês observarem que o processo para a criação do mapa é o mesmo e pode ser adotado em qualquer mapa. O mapa da Cidade estará no próximo post, já que esse tutorial ficou grande demais, MAS, esse tutorial será postado antes desse (para que fique cronologicamente inteligível).

Primeiro Mapa: Continental 

O Mapa Continental é, sem dúvidas, o mapa mais fácil de se executar no GIMP e certamente o mais rápido, independente da forma que você irá fazê-lo, então, iniciaremos com ele para que vocês não se assustem.

Passo 1: Crie uma imagem em branco.
• Abra o GIMP 
O primeiro passo a ser dado é abrir o GIMP, e a primeira vista o tanto de opções que ele oferece assusta. Mas vamos facilitar um pouco sua vida.
• Vá no menu Janelas > Modo de Janela Única
Habilitando o Modo de Janela Única, todas as ferramentas estarão disponíveis nesse menu, poupando-o de ficar procurando as ferramentas nos sub-menus. Ele agora estará similar à imagem abaixo:



 Seu Gimp provavelmente deve estar com o visual semelhante ao exemplo acima 

Acesse o menu Arquivo > Nova
A tela abaixo deve surgir, e é muito importante que você mude a opção Preencher com para Transparência (A opção está escondida em Opções Avançadas). Você pode escolher qualquer tamanho inicial para seu mapa, mas opte por tamanhos maiores apenas quando for abordar continentes inteiros, grandes cidades ou regiões. Do contrário, opte por tamanhos como 1000x1000 e semelhantes.


Não se esqueça de colocar a Transparência em Preencher com:

Quando você apertar o botão OK, uma tela cheia de quadrados cinza claro e cinza escuro deverá surgir. Agora sim, começaremos a desenhar nosso mapa!
 

Passo 2: Desenhe a estrutura.
 
O primeiro passo para a criação de qualquer mapa é a criação da sua estrutura. A estrutura nada mais é que o contorno dos continentes ou o desenho das ruas. É por meio dessa estrutura que basearemos todo o nosso mapa. Você não precisa se preocupar com terrenos ou coisas do tipo, apenas o desenho do continente importa por ora. 
• Pegue a ferramenta Pincel, coloque tamanho 20, cor Preta e Pincel Nº 02 - Hardness 025, igual a foto abaixo:


 
 Configurações do Pincel

• Agora que o pincel está configurado, comece a desenhar os continentes livremente, ao seu gosto.
DICA: Segurando Shift enquanto está com o pincel irá criar apenas linhas retas, facilitando seu serviço.
Use a borracha se errou em algum tracejado. 
• Nomeie essa camada (menu direito) como Estrutura.

Seu mapa deve estar dessa forma:

Já me sinto como Pablo Picasso

Passo 3: Colocando o terreno 1

O nosso próximo passo é colorir nosso mapa, colocando o terreno. Começaremos pelo mar que certamente é o que mais ocupa espaço. Aqui temos três formas de colocar nosso querido mar:

FORMA 1: Você pode ir no Menu de Camadas (localizado à direita, símbolo de três quadrados brancos), Botão Direito, Nova Camada e apertar OK. Uma nova camada surgirá, clique duas vezes sobre ela e renomeie-a como Mar. Ela deverá surgir acima da Camada Estrutura, então, segure a Camada Estrutura e arraste-a de modo que ela fique acima da camada Mar. Agora, pegue o Balde de Tinta, escolha uma tonalidade de Azul e clique sobre qualquer lugar do mapa.

• FORMA 2: Você pode pegar uma imagem de mar qualquer na internet e colar direto no GIMP. No menu de Camadas, irá surgir uma camada chamada Seleção Flutuante (Camada Colada). Clique duas vezes sobre ela e renomeie-a como Mar. Se o mar não ocupar o mapa inteiro, selecione a ferramenta Redimensionar (símbolo de um quadrado menor com uma seta apontada para um quadrado grande, ou vá em Ferramentas > Ferramentas de Transformação > Redimensionar, ou simplesmente Shift + T)  e ajuste o mar para ocupar o mapa inteiro. Mas, o mar ficou posicionado de forma que a estrutura que você desenhou sumisse. Vá no menu de camadas à sua direita, clique na camada Estrutura e arraste-a de forma que ela fique acima da camada Mar.

DICA: Se o mar que você encontrar for muito pequeno e, quando redimensionar, ele acabe ficando extremamente distorcido, você pode colar o mar no tamanho original, colá-lo novamente (irá ficar duas camadas de Mar, uma em cima da outra), mover uma delas para o lado da figura original, fazendo um mar um pouco maior. Vá no menu de Camadas, selecione o mar que está mais acima, clique com o botão direito e clique na opção Combinar Abaixo. Você notará que a camada com os mares se unirá. Assim que fizer isso, certifique-se de que está na nova camada de mar, aperte Ctrl + C (comando de Copiar) e Cole (Ctrl + V). Você perceberá que ele colou o novo mar gerado, do tamanho da nova camada. Repita o processo de mover e combinar camadas, até que o mar preencha todo o mapa. Não esqueça de, no final, mover a camada Estrutura para cima, sobrepondo-se às outras.

Seu mapa deve estar assim agora:


Note o posicionamento das camadas no menu direito (acima)

Parte 4 - Colocando o Terreno 2

Agora iremos colocar o segundo terreno desejado, no meu caso, selecionarei o Gelo na parte inferior do meu mapa. Você pode proceder das seguintes formas:

FORMA 1: Da mesma forma que a FORMA 1 anterior, crie uma nova camada com o nome de seu novo terreno, porém, posicione a camada entre o mar e a estrutura. Agora, selecione com uma das ferramentas de seleção (abaixo) apenas as áreas que deseja cobrir. Você pode cobrir o mapa inteiro caso deseje (assim como fez com o mar), mas perderá tempo com isso. Agora que já selecionou, clique no Balde de Tinta e, em Opções de Ferramenta (abaixo das ferramentas), na parte de Áreas Afetadas, selecione Preencher Toda a Seleção. Escolha a cor que deseja e pinte a área selecionada.


Ferramentas de Seleção: Seleção retangular, elíptica e Seleção Livre

FORMA 2: Da mesma forma que a FORMA 1 anterior, pegue na internet a imagem com terreno desejado e cole no GIMP. Renomeie-o com o nome do terreno escolhido e redimensione-o de forma a caber apenas na área que você deseja que ele fique. Coloque a camada com tal terreno entre a Camada Estrutura e a Camada Mar.

Seu mapa deve ficar dessa forma:

Note novamente o posicionamento das camadas. Já já resolveremos essa parte feia :)

Dessa vez, ainda não acabamos: Certifique-se que está na camada com o terreno que acabou de aplicar, escolha a ferramenta Borracha e apague os locais que o terreno está ocupando e que não deveria ocupar, como o mar, por exemplo. Deixe a borracha com um tamanho grande para apagar a maior parte e vá diminuindo seu tamanho para fazer o acabamento.
DICA: Quando selecionar a ferramenta Borracha, vá nas Opções de Ferramentas e não selecione a Caixa de Texto Borda Dura. Assim, a borracha irá apagar menos do que deveria, te permitindo apagar com mais cautela.

Agora, nosso mapa deverá estar assim:


Após o trabalho de apagar, a neve ocupa apenas os lugares que eu quis. Bem melhor, não é mesmo?

Parte 5 - Colocando os demais terrenos

Agora que você entendeu como aplicar os terrenos, o que você deve fazer é replicar isso nos demais terrenos. Irei colocar as imagens para que vocês não se percam:

 Peguei uma imagem de Areia na Internet, colei no mapa, redimensionei para ocupar as áreas que eu queria e, com a borracha, fui apagando as áreas indesejadas.
Da mesma forma que a areia, encontrei uma imagem de regiões rochosas na Internet, redimensionei para ocupar o continente inteiro e apaguei as partes indesejadas. Note que deixei a Camada de Areia por cima da camada de Montanhas, para não ter o trabalho de ficar apagando mais coisas.


 Por último, peguei novamente uma imagem de grama na Internet, redimensionei para ocupar o mapa inteiro e apaguei as partes indesejadas. Coloquei a neve por cima das demais camadas para que ela fique visível na parte sul do continente, deixei a areia por cima das demais e coloquei a grama por cima da montanha, para que não precisasse ficar apagando as montanhas. Note que o mapa começa a tomar forma.


Parte 6 - Aplique efeitos

Nosso mapa ainda está muito cru, e seria interessante aplicarmos alguns efeitos para que ele ficasse mais atraente visualmente. Irei dar algumas dicas de como melhorar algumas coisas, todas elas foram aplicadas no meu mapa. A descrição de cada ferramenta estará no final desta parte:

- A última ferramenta do GIMP se chama Sobreposição/Superexposição. Enquanto que a Sobreposição clareia a imagem, a Sobreposição escurece. Use-a para criar alguns efeitos, tais quais:
• Deixar a neve mais clara;
• Diferenciar a água da costa, água rasa e água profunda;
• Deixar o Deserto mais claro;
• Deixar a região montanhosa mais escura.

- Você pode usar a ferramenta Cores (no menu de cima) para aplicar alguns efeitos bacanas, como dar uma tonalidade mais viva para o mar. De uma forma mais esdrúxula, esse menu serve como o menu de cores de sua TV, podendo mudar brilho, contraste, entre outros;

- Você pode usar a ferramenta de Clonagem (símbolo do carimbo) para clonar algo da imagem ou para disfarçar linhas do mapa (exemplo, quando você copia uma imagem por cima da outra, uma linha as separa). Aperte Ctrl + Botão Esquerdo na área que deseja reaplicar em algum outro lugar, e clique no botão esquerdo novamente para fazer a aplicação. Se clicar e arrastar o mouse, a área de clonagem se moverá junto, podendo clonar uma área inteira. Soltando o botão esquerdo, a área de clonagem voltará a região pré determinada por você;

- Você pode usar a ferramenta de Borrar (símbolo de uma mão) para disfarçar linhas e deixar o mapa menos artificial. Basta arrastar o mouse no sentido que quiser, que será feito um borrão com a cor da área que o mouse estava quando iniciou o borrão;

- Você pode desfocar um terreno usando a ferramenta de Desfocar/Deixar Nítido (símbolo de uma gota);

- Usando o Aerógrafo, você pode pintar com pressão variável, podendo ser usado para escurecer algumas regiões, como a região das florestas.


 Ferramentas de Tratamento do GIMP

Após essa rodada de tratamento de imagem, meu mapa ficou desta forma:
Quase um mapa de verdade!


Parte 7 - Coloque Marcadores e Fontes

Já estamos na parte final do nosso mapa (rápido, não é mesmo?), falta apenas colocarmos os Marcadores e Fontes. Como um Mapa Físico, eu não usarei imagens representando cidade (e explicarei no próximo mapa porque você não deve fazer isso por enquanto).

Para fazer os marcadores, é simples:
• Para cidades, faça um círculo de contorno Preto e pinte-o de preto;
• Para capitais, faça um círculo de contorno Preto e faça um outro círculo menor dentro dele, pintando o círculo menor de preto;
Salve a imagem do paint e abra-o com o GIMP;
• Use a Ferramenta de Seleção Contínua (ao lado da Seleção Livre, símbolo de Varinha Mágica) e clique Shift + Botão Esquerdo no círculo interno e externo do marcador de Capitais. Após selecionar, copie.
• Passando para o mapa, crie uma nova camada chamada Marcadores e coloque-o por cima da camada Estrutura. Clique na ferramenta Lápis, e, abaixo da Opacidade, há o formato do Pincel. Clique no símbolo (normalmente um círculo escrito Hardness xx) e clique no primeiro ícone chamado Área de Transferência. O traço comum do lápis será substituído pelo marcador que copiou da imagem que criamos no Paint. Aumente o tamanho do traço para que não fique muito pequeno e coloque os marcadores onde ficariam as maiores cidades do seu reino. Depois, use a Seleção Contínua novamente, clique no marcador de Cidades, copie-o e repita o processo.

Agora, falta apenas a fonte. Recomendo que escolha uma fonte no Google Fonts (há algumas fontes bem maneiras que soam como medieval) e comece a escrever o nome de suas cidades. Se quiser ser caprichoso, procure uma Rosa dos Ventos, copie-a no GIMP da mesma forma que fez com os Marcadores e cole no seu mapa.

Após terminar, seu mapa estará quase pronto. Falta apenas o toque final: Lembra-se da Camada Estrutura que serviu de base para construirmos nosso mapa? Ao lado das camadas, há um pequeno olho. Clique no olho referente à camada Estrutura e ela sumirá. Pronto, agora seu mapa está pronto!

O mapa final ficou assim:



Eu achei que ficou muito bacana, e vocês?

Seu mapa está concluído e provavelmente ele demorou menos tempo do que eu para fazer a postagem (3hrs). Se essas dicas te ajudaram a você desempacar de criar mapas, por favor, mande-nos seus mapas via Twitter, Comentários ou E-mail. Se conhece mais formas de fazer mapas no Photoshop, nos dê seu feedback e certamente levaremos ele em consideração nos próximos tutoriais.
Uma pergunta que muitos farão é: Por que não usar miniaturas para montanhas e regiões?

Infelizmente, o Photoshop não é como o Inkarnate ou o Cartographer Campaign, onde há um database à sua disposição com esses sprites/tiles. Você deverá criar seu próprio repertório de imagens e ir aplicando-os em seus mapas. E, infelizmente, é um tanto quanto difícil encontrar esses tiles. Para piorar, muitos desses tiles tem imagens no fundo, dificultando ainda mais a tarefa de replicá-los (você precisa apagar o fundo da imagem ou selecionar apenas a imagem usando a Seleção Livre/Seleção Contínua. Acredite, fazer esse processo, dependendo da complexidade da imagem a ser trabalhada, é mais demorado que fazer o mapa em si. Como exemplo, demorei mais para fazer os tiles do próximo mapa do que para criá-lo efetivamente.
Mas, coloquei alguns poucos tiles que tinha disponível em meu computador. Sem um repertório vasto de imagens, o resultado não fica tão bom quanto o mapa "pelado" de miniaturas.


Miniaturas em mapas regionais: Só eu que não gosto delas?

Siga para a próxima postagem para ver a construção do segundo mapa.

 
Até logo!

3 comentários:

  1. Obrigado pelas instruções, estão ajudando muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, obrigado Bruno, fico feliz que esse pequeno tutorial esteja te ajudando!
      E parabéns pelo trabalho lá no Atma RPG, acompanho vcs sempre que tenho um tempinho. Espero que o sistema de vocês saia, tem bastante coisa legal que outros sistemas não abordam.
      Sucesso pra vcs!!!

      Excluir
    2. Tá sim senhor. O GIMP perdeu o bônus de intimidação, hehehe.

      E ficamos gratos pela atenção, Luiz, valeu.

      Excluir

Posts Relacionados

House-Rule para Testes de Habilidade de Mike Mearls para D&D 5E

Olá e boa noite! Tudo tranquilo com vocês? Para a galera que acompanha o Twitter dos designers da 5ª Edição de Dungeons and Dragons - ...

Postagem mais visitada